Dezirée & Lucca Forever

quinta-feira, abril 26

The end



Tudo sempre vai acabar alguma hora. Os cigarros apagam, as flores murcham, as pessoas cansam, os sentimentos se desgastam. Nada é eterno. Isso é clichê e doloroso. E eu estou tentando me conscientizar disso. De um jeito ou de outro, sempre soube que um dia eu precisaria dar adeus aos velhos amigos e as velhas paixões. Sempre soube também que isso doeria. Mas é inevitável…e sufocante. De uma certa forma. E sabe, o pior de tudo foi saber que um hora ou outra, eu necessitaria dar adeus ao nosso amor.

Necessitaria saber que você se foi, e não ia voltar. E não iria adiantar tentar nos unir novamente. Porque, quando um nó se desfaz, ele não vai poder voltar a ser novamente o que era. E o nosso nó, se desfez. O que te prendia a mim, sumiu. Assim, do nada. Você foi se afastando, e foi levando meu coração estúpido junto. E tola, fui acreditando que seria para sempre. Não foi. Nunca é. […]

Mas sabe, eu sempre gostei do jeito que você mexia nos cabelos, do sorriso torto que você tinha, gostava de como eu me sentia ao teu lado… completa. Completa de um jeito que eu nunca me sentia antes. Sabe, eu sempre achei você pouco. Mas depois que você partiu eu senti um imenso buraco em mim. Algo faltava. Foi como dizem “o pouco que a gente tem, parece imenso quando se vai”. Mas não havia outro jeito. Você seguiu o seu caminho, e eu o meu. E como todas as outras coisas, tudo tem um fim… 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget