Dezirée & Lucca Forever

sexta-feira, maio 27

O profeta Gentileza...


Em 17 de dezembro de 1961, o incêndio do Gran Circus Norte-Americano em Niterói, Rio de Janeiro, deixou mais de 400 mortos, na maioria crianças. A tragédia comoveu não só o Brasil, mas o mundo inteiro.
Nesse fatídico dia, o empresário José Daltrino, 44 anos, nascido em Cafelândia, São Paulo, em 11 de abril de 1917, foi para o local consolar as pessoas e ajudar no que pudesse.
Foi aí, então, que surgiu o Profeta Gentileza.
Muitos cariocas devem se lembrar da figura de Daltrino: cabelos e barba longos, vestindo uma bata branca com apliques cheios de mensagens e levando na mão um estandarte com dizeres em vermelho.

Crítica do Mundo

Durante 35 anos, ele percorreu toda a cidade, viajou nas barcas Rio-Niterói, entrou em trens e ônibus para fazer a sua pregação e oferecer flores a todas as pessoas. Seu lema era “gentileza gera gentileza”.
Ele pintou as 55 pilastras do movimentado Viaduto do Gasômetro com inscrições propondo sua crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar de nossa civilização.
Foi pioneiro em denunciar ameaças à natureza e pregou o “AMORRR” (ele tinha um modo peculiar de escrever) e a gentileza como salvação do mundo.
Após sua morte em 1996, os textos foram cobertos de tinta cinza por ordem da prefeitura, o que gerou protestos da população.
Hoje, recuperado pela Universidade Federal Fluminense e registrado em CD-Rom, o grafismo do Profeta Gentileza é patrimônio artístico-cultural do Rio de Janeiro.

Espírito para Deus

Gentileza tinha sua própria linguagem, por exemplo, o capitalismo (tido por ele como o mal do mundo) era chamado de “capeta-lismo”.
Aos que o chamavam de louco, respondia: “Sou louco para te amar e maluco para te salvar”. E se um incauto tentava lhe dar esmola, ele a recusava, sorrindo:
“Eu não quero seu dinheiro, meu filho, quero muito mais: quero seu espírito para Deus”.
Ssegundo o leitor Ivandro, José Daltrino é lembrado na música Gentileza, de Marisa Monte.
O Profeta Gentileza tem também uma comunidade no Orkut efoi personagem da novela Caminho das Índias, interpretado pelo ator Paulo José.
Eis uma mensagem do Profeta Gentileza que, com certeza, vai mexer com você:
A natureza não vende terra,
a natureza não cobra pra dar alimentação para nós.
Esse dia lindo,
essa luz que está em cima de nós, a nossa vida,
ou seja, vem do mundo, é de graça,
é Deus nosso Pai que dá.
Agora o capeta do homem que é o capitalismo, é que vende tudo, destrói tudo,
destruindo a própria humanidade.
Capeta vem de origem capital.
É o vil metal
Faz o diabo, demônio marginal.
Por esse motivo, a humanidade vive mal.
Mal de situação,
mau de maldade,
porque o capitalismo é falsidade,
o pranto de toda a maldade,
raiz de toda a perversidade do mundo.
É o dinheiro.
O dinheiro destrói a mente da humanidade.
O dinheiro coloca a humanidade surdo.
O dinheiro destrói o amor.
O dinheiro cega.
O dinheiro mata.
Todo dia você lê jornal, ouve rádio,
televisão, só vê barbaridade:
é crime, é assalto, é sequestro, é vício, nudez, devassidão, fome e guerra.
Vai ver qual é a causa:
capitalismo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget