Dezirée & Lucca Forever

segunda-feira, abril 25

PRÍNCIPES OU SAPOS ?


Construímos castelos ao redor de homens comuns. Fazemos isso por carência, por carinho... Não há nada mais gostoso que receber atenção e conforto de quem em meio a multidão escolhemos para amar. Nesses instantes de pura magia, tem-se a impressão de que tudo foi criado sob um encaixe perfeito. “O universo conspira a nosso favor”, é o que se costuma dizer. O que não se percebe é que o aquele por quem edificamos esse pequeno “conto de fadas”, muitas vezes se perde em um sonho que não era dele e que exatamente por isso, não soube como correspondê-lo. Sem que percebamos prendemos e tentamos condicionar o nosso nomeado príncipe a viver correspondendo àquilo que nós consideramos perfeito. Como a magia no início é envolvente, muitos príncipes assumem esse papel. Isso serve para todo tipo de relação. Durante o tempo que se seguem aos poucos vão sofrendo um tipo de mutação que para nós, significa dizer que vão virando sapo, mas que para eles, na verdade, não passa de um reencontro consigo mesmo, um “ele” que se perdeu em meio à paixão, ao amor, aos sonhos, ao cotidiano da relação... Nesse instante de descobertas, ou nós os deixamos, ou eles nos deixam. Porque ou nós ou eles, para vivenciarmos o amor, nos mudamos e nos esquecemos de si. Não pretendo de forma alguma designar culpados ou inocentes nas histórias de amor, porque acho que todos, ganhamos mais que perdemos, durante sua vivência. Cresci acreditando na história do príncipe encantado e demorei muitos anos pra entender que quem encontramos para amar é alguém tão simples e ao mesmo tempo tão especial quanto nós. Com o tempo e as experiências vividas compreendi que amores eternos não existem e casamentos não são predestinados para o “até que a morte nos separe”. É possível se amar alguém para sempre? É. Desde que se entenda que assim como o mundo sofre transformações, nós também sofremos e, por conseguinte, aquilo que sentimos. Essa foi, para mim, a grande descoberta: Entender que o amor, morre e nasce tantas vezes quanto nós nascemos e morremos. E que o famoso “Viveram felizes para sempre” na verdade quer dizer “Viveram até quando foi possível”. Príncipes ou sapos? Eu diria que se tratavam tão somente de homens que amamos...

Fênix Forever


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget