Dezirée & Lucca Forever

terça-feira, abril 17

Meus olhos de poesia...



Talvez seja pretensão da minha parte o título desse texto, mas ainda me sinto tomada pela emoção que me faz escrevê-lo, dessa forma, reservo-me ao direito de tamanha ousadia. 

Vindo do trabalho, por falta de atenção, acabei pegando o ônibus errado. Como já não havia nada a fazer, além de me reajustar a rota verdadeira, coloquei meu fone de ouvido e permaneci escutando música e observando as pessoas que ali transitavam num ritmo frenético. 

Foi então que vi no meio daquele tumulto uma cena única que me levou a pensar na simplicidade da vida... 

Uma moça com uma barriga enorme desce de um ônibus apoiada por um rapaz que imaginei ser seu companheiro. Ela estava visivelmente sofrida e tendo contrações e ele agoniado tentava ajudá-la. 

Seguiram caminhando e parando, sempre apoiados e amparados entre si. Seguiram a pé, vez ou outra ele sorria e falava algo no ouvido dela que timidamente devolvia-lhe o olhar... 

Aos poucos sumiram na multidão. 

Aquela cena me tocou muito. Dois jovens simples, cúmplices e apaixonados preparando-se para enfrentar a vinda de uma nova vida, sorrindo com a certeza de que nada poderia desfazer seus sonhos. Havia uma comunhão expressa de amor que não se vê muito hoje em dia. Aquela leveza do primeiro amor que revitaliza sonhos, reproduz saudades e resgata lembranças. 

Cheguei em casa e quase esqueci a confusão do ônibus, não fosse as lembranças daquela linda cena...

Fênix Forever


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget