Dezirée & Lucca Forever

sábado, fevereiro 11

Eu te vi...


Tentei por muito tempo evitar esse encontro, mas o acaso não manda recado, nem sms, nem emails e então...Eu te vi! 

Te observei por horas, e do meu canto pude estudá-lo um pouco mais... 
De uma forma estranha te vi fora de mim, te vi longe do meu olhar protetor, do meu amor zeloso, do meu sorriso. 

Vê-lo feliz me trouxe uma mistura de tristeza e alegria, essas coisas complicadas que nós adultos sentimos involuntariamente quando nos apaixonamos. Confesso que a minha primeira reação foi de fugir, de me esconder da realidade, mas já não dava mais, já era hora de acreditar nos olhos, principalmente naqueles que por um bom tempo enxergaram tanto pra dentro... 

Depois que o impacto me entorpeceu os sentidos comecei a entender um turbilhão de coisas. Vi principalmente que tudo acontece mesmo no tempo certo, não adianta tentar apressar ou retardar a vida. Dessa forma então, abri os braços e recebi dela (a vida) essa doce despedida. 

Vi que os sorrisos que antes pensei serem meus, sempre foram teus e ali, te vendo entregando-os para alguém que não era eu, compreendi que tudo realmente passou. 

Te vi dançando, te vi tão alegre quanto era ao meu lado e apesar daquela egoísta mistura que citei, me senti satisfeita e em paz, porque te dei muito mais do que havia em mim, quando éramos dois...Naquele instante te vi em mim e me vi em ti. 

Quando nos apaixonamos criamos mundos muito especiais, e que nem sempre a outra pessoa está pronta ou se dispõe a conhecer. 

Te vi de verdade, mas essencialmente, te vi depois de mim. Como a gente cresce quando se depara com a vida além de nós mesmos. 

O que posso dizer depois que te vi é que embora tenhamos nos afetado de alguma forma; porque ninguém passa por nós sem deixar um pouco e levar um pouco; é que prefiro deixar guardado o que eu tinha de ti, o que você foi pra mim quando teus olhos (ainda que pra mim) eram meus...

Fênix Forever


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget