Dezirée & Lucca Forever

segunda-feira, janeiro 9

Ao primo que amo...


Tenho muitos primos e primas espalhados por alguns lugares do Brasil, alguns eu nunca conheci, outros fizeram parte de momentos da infância e outros permanecem até hoje na minha convivência, ainda que de forma distante. No meio desses primos e primas existe um que mantém um espaço muito especial no meu coração.
Me desculpem todos os outros, mas essa paixão fraternal tem algo ligado à alma da gente (minha e dele), e não é lá muito explicável; nem acho que deva ser, porque alguns sentimentos existem e ponto, não há muito pra dizer...Afinal, sentimento a gente sente, vive!

No meio do caos que vivi ontem, de uma chuva intempestiva e uma sensação de que o conforto do meus quarto e mais especificamente da minha cama seria muito melhor, encontrei essa minha jóia rara. Havíamos nos visto há pouco tempo em um momento de muita dor e talvez por isso não tivéssemos a oportunidade necessária para nos abraçarmos e nos olharmos nos olhos. Esse meu primo tem uma franqueza no olhar quase extasiante.
Ontem entre chuvas, abraços, beijos e lágrimas, conseguimos!
E foi maravilhoso, porque pude vê-lo sorrindo. Imaginem alguém que já tem um olhar tão sensível, sorrir...

Em meio ao tumulto do local, conseguimos fazer um breve passeio a um passado divertido e inesquecível. Obviamente lembramos-nos do meu tio que de forma muitas vezes exagerada, nos proporcionou, gargalhadas incríveis. Escutando ele falar, senti como se meu tio estivesse ali, com as mesmas brincadeiras, o mesmo tom de voz, a mesma peraltice que juntos definiam o senso de humor do único tio que tivemos. (Acho que ele estava sim!)

Meu primo Fred, bem mais jovem do que eu transformou-se em um homem íntegro, de caráter e com um sorriso de menino. Que prazer enorme tive/tenho de olhá-lo com esse olhos de amor, os únicos que verdadeiramente nos importam e nos fazem a diferença na vida. Que alegria poder dizer a ele “Eu te amo” com toda emoção que uma declaração de amor impulsiona.

Já li muitas declarações e histórias voltadas as lembranças de alguém que se foi, claro que elas tem seu valor para quem as escreve e para quem as lê, mas aprendi há muito tempo que algumas coisas nos fazem muito bem, ditas no calor do momento. Elas são um transbordamento da alma, um grito do coração, um falar nas palavras.
Por isso eu estou aqui agora, no meio da madrugada, ensopada de chuva e ainda com o cheiro do seu perfume preso pelo abraço terno que nos demos, para ressaltar o enorme amor e carinho que sinto por ele.

Fredinho, seu lindo, siga em frente, busque no que você acredita os ideais da sua vida, recomece, comece, refaça, conserte, crie mas faça sempre aquilo que seu coração te pede e conte comigo sempre, absolutamente sempre.
Um beijo meu fofuxinho!




Verônica Fragoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget