Dezirée & Lucca Forever

quinta-feira, janeiro 26

À amiga Veri


Comecei a escrever desde quando tentei freqüentar um psicólogo. Na terceira ida em que eu ficava olhando pra ele e ele olhando pra mim, o mesmo me sugeriu que começasse a escrever de forma aleatória, e levasse para conversar com ele...
A verdade é que nunca mais voltei porque quando fui reler me senti nua e não quis dividir com alguém uma interpretação sobre tudo o que ali estava escrito. O tempo passou e resolvi então iniciar essa pequena aventura criando um blog. As ferramentas sociais que a internet nos disponibiliza são fascinantes, principalmente pra mim que adoro tentar entendê-las e “dominá-las”.

Com o passar do tempo acabei me voltando bastante para textos que de alguma forma tentam expor inquietudes pessoais, pontos de vista, momentos ou ainda fazer referencias a leituras, filmes, músicas e amigos.

Esses últimos, os amigos têm sido um “mote” de certa constância, talvez porque eu esteja em um momento pessoal de grande amplitude fraternal, tenho me aproximado de pessoas muito interessantes e cheias de diferenças. Acho que só agora, aos 40 anos, pude entender finalmente o significado da palavra amizade.

Em meio a esses novos rostos, também solidifiquei amigos que antes eram conhecidos e pude também compreender que até essa transformação depende da nossa maturidade em respeitar o outro, como alguém que é diferente, mas também complementar. O que seriamos sem os amigos?

Toda essa premissa é para fazer um carinho sincero a um dessas pessoas que tive uma maior aproximação nos últimos meses e que por diversas razões me encantou, pelo jeito simples e autêntico de ser ela. Seu nome significa “verdadeira” e creio ser essa a definição que mais a traduz. Ela se chama Veridiana.

Essa moça de alma limpa e sorriso maroto, dança e vive embalada por uma áurea colorida e cheia de vida. Tem uma generosidade absurda e um coração imenso. Possui ainda uma força enorme e demonstra isso quando por algum motivo alguém a magoa.

Veri, quero te dizer que a vida nem sempre nos mostra brilhos de estrelas, mas não é por isso que a noite perde seu encantamento. Às vezes precisamos nos defrontar com momentos difíceis para entender que as nossas escolhas merecem mais atenção e que principalmente, nós é que somos responsáveis por cada uma delas. A nossa felicidade pertence a nós e quando possível compartilhamos com alguém, mas nunca deixamos isso como responsabilidade do outro...

Adoro você amiga e conte comigo sempre!
Como você mesma diz, amigo é pra se “lascar”...

Beijocas no coração!

Fênix Forever


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget