Dezirée & Lucca Forever

terça-feira, agosto 2

PAI, um guerreiro menino

 Quero fazer uma homenagem especial aos pais, aos homens-pais que tive o enorme prazer de conhecer ao longo da minha vida. Sempre afirmo que a experiência de vida nos marca e nos renova de variadas formas porque considero isso uma verdade inquestionável. A partir dessa premissa reformulo minhas perspectivas, meus olhares e principalmente minhas escolhas. Desde que inicie minha vida acadêmica já me deparei com inúmeros sentimentos contraditórios que me levaram a entender e acalmar minha eterna inquietação em relação às relações humanas.

Durante um longo período defendi a idéia de que nós mulheres fomos vítimas de uma tirania masculina sem precedentes. Só após muitas leituras, observações e discussões tanto na academia, quanto com meus amigos e professores que compreendi o fato de que nós mulheres fomos também protagonistas da História e que os homens sofreram também uma série de retaliações sociais endossadas pela necessidade de se mostrarem “machos e mantenedores do núcleo familiar”.

O que quero dizer é que conheci homens que choram, que sofrem, que sentem solidão, medo ou qualquer outro tipo de sentimento dedicado durante muito tempo a sensibilidade feminina.

Em meio a esses homens afetuosos e verdadeiros me deparei com uma manifestação linda e íntegra de paternidade. Homens que passam a noite acordados preocupados com seus filhos, que trocam noites de baladas, viagens, festas para estar com eles, não por obrigação, mas por puro prazer de dividir com eles momentos da vida.

Homens que gritam alto, sem nenhuma vergonha:- Meu filho é o melhor de mim!
Homens que me emocionaram, e que me fizeram perceber outro lado, socialmente escondido, mas que sempre existiu.

A esses homens sem defesas, sem máscaras eu dedico o meu mais profundo carinho e respeito.

Parabéns a esses guerreiros meninos e acima de tudo Pais!

Fênix Forever

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget