Dezirée & Lucca Forever

sábado, julho 16

O ser ou não ser, do mundo feminino

Ser ou não ser , eis a questão é uma frase famosa da literatura mundial de uma peça de Shakespeare e nos induz a muitos questionamentos filosóficos. Sem muitas pretensões a utilizei hoje para falar um pouco da hipocrisia que cotidianamente nós mulheres, ainda somos impelidas a viver, apesar de hoje conseguirmos lhe dar com isso de forma mais ousada, porque de certa forma a controlamos o que em séculos anteriores era improvável, pois éramos subjugadas a elas.

Quero frisar logo de início que não tenho a menor intenção de nos dar algum tipo de olhar fragilizador ou vitimizador , na verdade se trata apenas de reflexões...


Ser ou não ser essa é uma dúvida que nos atormenta desde quando começamos a nos enxergar como parte do mundo que nos rodeia... Nesse instante começamos uma longa caminhada de encontros e desencontros com nossa vontade e aquilo que a sociedade nos impõe através dos conceitos familiares de ser ou não ser. A minha geração viveu a adolescência como muitas crises existenciais, porque estávamos justamente tentando romper a linha tênue que teimava em existir, principalmente para as mulheres em relação ao seu modo de ser. Não sou adepta a generalizações, detesto rótulos quer sejam masculinizados ou feminilizados, mas naquela época o ser ou não ser individual ainda buscava uma forma de liberdade. Lembro bem a confusão que fazíamos quando uma amiga do grupo precisava comprar pílulas, saíamos todas em grupo e no meio de várias perguntas uma de nós fazia a compra, deixando escapar a identidade verdadeira da compradora.

Conversávamos sobre nossos namorados de forma bastante discreta e no máximo nossas artimanhas se traduziam em uma ou outra aula “gazeada”.

Mudamos de século, mudamos hábitos, mudamos sonhos, comportamentos...crescemos! E ainda vivemos em meio a muita hipocrisia. Conseguimos romper muitas barreiras, mas sei que ir de encontro com imagens pré-determinadas de boa menina, boa esposa, boa mulher, boa mãe, boa filha, boa amiga, boa... nos vale de muita crítica e olhares ferinos.

Ser ou não ser é para as mulheres da minha geração ainda uma fonte de joguetes e simulações, porque temos que continuar tentando agradar os outros, escondendo aquilo que realmente somos. Claro, que muitas mulheres escolheram enfrentar os preconceitos e se lançarem ao mundo, mas mesmo essas se policiam em seus desejos.

Ser ou não ser continua sendo um código, um segredo que poucos homens conseguem desvendar no mundo das mulheres... 

Fênix Forever


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget